Annie Hall



Ver os clássicos de Woody Allen, sobretudo esta obra-prima, é sempre um delírio de risos e percepção das verdades fundamentais do universo. A Diane Keaton é provavelmente a melhor Woody Girl de todos os tempos.

stop 4 a minute - David Fonseca



O nosso velho amigo David já percorreu muitos kilómetros desde aquele ano de 98 que explodiu no sudoeste com os silence 4 a fecharem o festival, e eu a ir para a tenda dormir porque já tinha ganho a noite com os soberbos concertos de Portishead e P.J. Harvey, que vi sozinho no meio de uma multidão extasiante porque os gajos com quem tinha ido (pessoal da Trofa?) estavam aterrados desde muito cedo. De referir que nesse festival actuaram The Cure e Sonic Youth também. Os primeiros não me lembro sequer, os últimos, vi-os sentadinho na poeira nocturna da herdade da Casa Branca, anestesiado com certas coisas que fumava na altura. Hipnótico... Curiosamente lembro-me de coisas tão improváveis como os concertos de Fun' Lovin Criminals (Scooby Snacks estava no auge), Ratos de Porão (eu a fugir do meio daquela multidão de headbangers descontrolados) e Three and a Quarter (banda portuguesa que deve ter desaparecido entretanto). Os Silence 4 fecharam surpreendentemente o festival (nem sequer estavam no cartaz), e eu não quis saber da banda da moda, se bem que meses depois ouvisse o Silence Becomes It no meu walkman (sim, k7 gravada!). Entretanto o Herman José fez a piada Silence Becomes Shit e eu vi a banda em Vila do Conde, no festival da juventude, e o nome Silence 4 começou a ser sinónimo de hype de verão.

O senhor David Fonseca, a menina Sofia Lisboa (aaaúuuuuuu... era o que ela fazia melhor, uivar nos refões, para além de abanar o corpinho para deleite do meu amigo Bruno, que ia para os concertos gritar-lhe que casasse com ele), o "virtuoso" Rui Costa (baixista que se vangloriou em entrevistas de ter entrado para a banda e mudado aquilo tudo para que tivesse sucesso) e o baterista de que ninguém sabia o nome, separaram-se anos depois, após um segundo álbum com um nome qualquer sobre a dor. Para memória futura refira-se que só o Sr. Fonseca singrou em projectos futuros, quer no projecto esporádico Humanos, quer com a sua carreira a solo, donde se destacam orelhudas (no bom sentido) canções hit-single The 80's, Superstars, Kiss Me Oh Kiss Me e agora a interessante Stop 4 A Minute.

Agora, os meus 6 graus de separação em relação a este senhor Fonseca advêm do distante ano de 99, quando me relacionei amorosamente com uma dama leiriense que alegava ver o dito cujo ocasionalmente, chegando mesmo a elogiar nele um qualquer sex-appeal que eu falhava em reconhecer. Ultrapassados os ciúmes, eis que chego a 2010 e sou de novo levado a conexões próximas dos 2 graus de separação em relação ao David, através de uma amiga que é amiga a Rita Lino, a protagonista máxima do novo videoclip do single Stop 4 A Minute. Ora, nunca é demais prestar as devidas homenagens à minha pendeja preferida, a Ana "Alexia" Salgado, que, como toda a gente sabe (ou devia saber), foi a responsável pelo design mais-que-feliz do livro que tem o meu nome na lombada. Podem encontrar todas as hiperligações para as pessoas acima descritas (ou para os seus blogs) à sua esquerda, na secção "Outras leituras mais interessantes do que estas", ou então aqui ou aqui

Favourite Things - The Golden Filter



New York, Sydney, Paris, London, New York, Sydney
These are a few of my favourite things
Ice cream, chocolate, coffee, sugar, ice cream, chocolate
These are a few of my favourite things
Candy, lollies, kitties, bunnies, knee highs, stockings
These are a few of my favourite things
Vintage, dresses, vodka, whiskey, kitty, bunny,
Paris, London, sweet girls, cute boys, vodka, whiskey, cameras, pictures
These are a few of my favourite things
These are a few of my favourite things
These are a few of my favourite things
Vintage, dresses, vodka, whiskey, cameras, London
These are a few of my favourite things

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Clay says: a few of MY favourite things as well... except for the cute boys (they can be ugly ahah!)

Song For Clay (Disappear Here) - Bloc Party



I am trying to be heroic
In an age of modernity
I am trying to be heroic
As all around me history sinks
So I enjoy and I devour
Flesh and wine and luxury
But in my heart I am lukewarm
Nothing ever really touches me

At the Trois Garcons, we meet at precisely 9 o clock
I order the foie gras and I eat it with complete disdain
Bubbles rise in champagne flutes, but when we kiss I feel nothing
Feasting on sleeping pills and Marlboro reds
Self-pity won’t save you

Oh how our parents suffered for nothing
Live the dream like the 80's never happened
People are afraid to merge on the freeway
Disappear here

We stroll past the queue, into the magazine launch party
I am handed a pill and I swallow it with complete disdain
Kick drum pounds off beat high hats remember to look bored
We suck each other's faces and make sure we are noticed
The cocaine won't save you

East London is a vampire it sucks the joy right out of me
How we long for corruption in these golden years.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Clays says: thanx

Sonhando o que te Contarei mais Tarde




comprar aqui já!

Sonhando o que te Contarei mais Tarde de Hélio Teixeira, é uma deliciosa colectânea de 16 contos, que prometem surpreender o leitor, quer pela sua originalidade, quer mesmo por alguns dos seus finais desconcertantes. Os contos presentes são:

O Anjo Azul; Estocolmo; Ossos do Ofício; Na Cidade; E foi assim que me tornei um prostituto masculino; A Noiva Esquecida; Desmarx; No Sonho; O Telefonema; Da Primavera e do Outono; Sinestesia; A Soberba ; O Canto da Sereia; Tínhamos ambos 19 anos e sonhávamos o futuro como se faltassem eternidades; Pássaro Enjaulado.
Ocorreu um erro neste dispositivo