Mel Gibson IRL



Isto é um filme ou é a vida real dele? fiquei confuso quando vi o cartaz... Eu sei que ele não é polícia na vida real e isso, mas o título e a catch-phrase fizeram-me pensar

FIFA Word Cup 2010 - África do Sul (c/ vídeos inéditos no final)




Ainda não acabou o Mundial, neste momento só sei que a Holanda é a primeira finalista, para desespero do Uruguai, que lutou bravamente até ao último minuto. E para meu desespero também, que saltei de alegria minutos antes do final, quando Maxi Pereira meteu aquela lá dentro com o pé esquerdo, já na compensação! Só não bufei uma vuvuzela porque não sou fã do artefacto (o Zidane parece que também não gosta)...

O Uruguai era a minha preferida, ainda que longe dos favoritos à conquista da Copa no início da competição. Mas devagarinho foram chegando até ao final-four, sem grandes resultados, mas com grandes momentos, grandes golos e grandes jogadores. Fantásticos os golos de Forlán, as defesas de Muslera, os golos e defesas de Suárez, o rapidíssimo Edison Cavani, a par de Alexis Sánchez, do Chile, um dos melhores flanqueadores sul-americanos.

As equipas sul-americanas foram as que prometeram mais na primeira fase. Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, todas elas passaram com mérito para os oitavos de final, mas no final vamos ter um vencedor europeu. Isto porque a Holanda tem os melhores jogadores do ano: Robben e Sneijder; e a Alemanha tem os melhores jogadores jovens: Muller e Ozil; e a Espanha tem meia equipa do Barcelona, incluindo Villa, que ofuscou totalmente El Niño Torres. Previsão para a final? Holanda-Alemanha, repetindo o mundial de 74, só que desta vez ganham os laranjas. Espanha? Quero que perca por muitos, tanto contra os teutões como contra os uruguaios! Não é que queira vingança por causa da eliminação de Portugal (nunca esperei grandes feitos da selecção de Queirós), apenas odeio La Roja por jogarem tão bem que mete nojo. E porque gosto de Underdogs. Que neste momento são todos menos a favoritíssima Espanha...

Aliás se não fosse Villa estar em tão boa forma, Espanha não tinha passado a primeira fase. El Guaje foi claramente o jogador icónico desta selecção, aconteça o que acontecer, um pouco à semelhança do que foi Roberto Baggio em 94, levando a Azzura às costas até à final. Como Forlán foi a figura deste Uruguai. E Chicharito Hernández do México. E Donovan dos EUA. E Enyema da Nigéria, apesar das fífias. E A. Gyan do Ghana, apesar do penalty falhado no ultimo minuto. E Honda do Japão. E Anelka da França, por pôr Domenech em sentido e na rua!

As equipas europeias, tirando as três semifinalistas, foram mesmo a maior desilusão da prova. A França parece ter sido amaldiçoada pelos druídas celtas da Irlanda, e a Itália conseguiu, ainda assim, mais um ponto que os gauleses, mas caiu na primeira fase, ficando atrás da Nova Zelândia! Que saiu do torneio sem perder! A Inglaterra enganou toda a gente ao passar a fase de grupos, pois via-se que eles não iam a lado nenhum depois daquele frango de Green (no estádio ficou a sensação que houve uma força que tirou a bola das mãos do guarda redes inglês), e foi embora mais cedo quando apanhou os inimigos de estimação germânicos. Sérvia, Grécia, Eslováquia, Eslovénia, Portugal, Dinamarca e Suíça não eram favoritos para coisa nenhuma, e até a Rússia, não indo ao Mundial, tinha mais favoritismo para levar a taça para casa!

De África só se viu o Ghana. A Nigéria pareceu muito inexperiente. Os Camarões uma piada autêntica: Eto'o acha que a equipa é ele e mais dez, tendo ponderado mesmo, antes da competição começar, rejeitar a convocação, alegando que estava cansado depois de uma extenuante final da Liga dos Campeões. Na Costa do Marfim o melhor jogador teve de entrar em campo com um braço partido. A Argélia não marcou um golo para amostra. A equipa anfitriã até que se despediu em beleza ao humilhar a França, mas não ultrapassando ainda assim a primeira fase.

Por fim, da Ásia esperava-se mais. Não estou a falar da Coreia do Norte, que até teve uma participação bastante digna, mas sim da Austrália, da Coreia do Sul e do Japão. Os Socceroos, asiáticos "emprestados", pareciam já ter a experiência acumulada necessária para passar da primeira fase, mas baquearam, muito por culpa da goleada sofrida frente aos alemães. A Coreia de Ji Sung Park caiu aos pés do Uruguai, se assim não fosse, talvez pudessem repetir uma meia-final, depois do brilharete caseiro de 2002. Mas a maior decepção vem do Japão, que tem vindo a investir muito no futebol ao longo dos anos, usando técnicas de treino avant-garde, como as seguintes:

TREINAR DE BINÓCULOS PARA MELHORAR A PERCEPÇÃO ESPACIAL DO TERRENO DE JOGO



TREINAR CONTRA 100 ADVERSÁRIOS PARA CONSEGUIR JOGAR EM ESPAÇOS REDUZIDOS



REMATAR A BOLA CONTRA UMA ÁRVORE ATÉ QUE ESTA CAIA, PARA GANHAR POTÊNCIA DE REMATE

Ocorreu um erro neste dispositivo